terça-feira, 15 de fevereiro de 2011



Como a triste bailarina
dancei sozinha no escuro
ao som da melancolia e da saudade.
A bailarina
sem amor,
sem dor,
sem cor.
Tentando apenas recolorir
e recriar seu mundo em flor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário